Marcas

wp-1491295685861.jpg

Vale glaciar de Glen Coe, na Escócia


Um glaciar passou por Glen Coe há muito tempo. A forma arredondada do vale indicia que o gelo terá repousado e se arrastado por aquele espaço, numa longa, lenta e reiterada sucessão.

O movimento do glaciar deixou as suas marcas – prefiro assim chamar-lhe do que feridas. Aquelas marcas ficaram incrustadas nas encostas das montanhas e o vale ficou mais largo e profundo. O peso de um glaciar é inegável e as suas faces gélidas, pressionadas contra a terra, queimaram e sufocaram a vida do vale. Foram marcas que sentenciaram o seu aspeto de uma forma histórica, quase permanente.

Se o glaciar não tivesse por ali passado, aquele vale seria diferente, decerto. Mas a verdade é que não seria tão belo como é. Apraz-me para ele olhar e observar que nova vida por ali desponta. Pois onde chega a luz e onde chega o alimento (seja água, nutrientes ou o amor), chega também a invejável força para querer ser melhor.


Advertisements